Caprioli – desenhador humorístico

Uma das facetas menos conhecidas de Franco Caprioli, enquanto autor de “fumetti” (BD em italiano), é a de desenhador humorístico, género que cultivou, sobretudo nos anos 1940, em revistas destinadas ao público infantil e que tiveram vida efémera.

Nessa época, era visível o cunho ainda experimental do estilo de Caprioli, que procurava conciliar a fidelidade à “linha clara” com o uso, cada vez mais frequente, do “pontilhado” e a demarcação mais rigorosa das zonas de luz e sombra, num processo diferente das suas primeiras histórias, pois trabalhava também, agora, para a cor.

Os excertos que seguidamente divulgamos de duas histórias infantis, de estilo caricatural, são, porém, a preto e branco, com uma nítida influência da “linha clara” que Caprioli posteriormente abandonou.

Estas duas primeiras tiras, cheias de movimento e de expressividade, em que Caprioli já fazia uso de onomatopeias (as estrelas da 2ª tira), pertencem a uma história inédita destinada ao jornal “L’Ometto Pic”.

As três tiras seguintes também não foram publicadas, mas destinavam-se provavelmente à mesma revista, onde saiu, em 1945, uma história muito semelhante com o título  “L’incantesimo dell’orco Barbalà”.

Anúncios

Caprioli e a Pré-História – 5

Soberba prancha de Franco Caprioli para um trabalho inédito sobre a Pré-História (Paleolítico Superior), um dos temas favoritos do saudoso Mestre italiano, por nele poder dar vazão não só ao seu talento artístico como aos seus profundos conhecimentos da história da Humanidade em áreas como a Antropologia, a Arqueologia, a Etnologia e outras ciências relacionadas com as épocas mais remotas.

Caprioli e a Pré-História – 4

Esta página com um artigo de António Dias de Deus, baseado na magnífica ilustração de Caprioli que serviu de capa ao nº 1 (2ª série) do fanzine Cadernos de Banda Desenhada (Novembro 1995) — onde foi publicada a história “Uma Estranha Aventura”, um dos mais perfeitos exemplos do primor artístico e da vasta erudição do mestre italiano, até em domínios reservados a especialistas como a Paleontologia, a Antropologia e a Etnologia —, era destinada à 2ª edição desse fanzine, que por motivos de força maior não chegou a concretizar-se.

Trata-se, pois, de um artigo inédito que muito nos apraz divulgar neste blogue, com a devida vénia ao seu autor, um dos mais notáveis críticos e historiadores da BD portuguesa, de quem infelizmente há muito não nos chegam notícias.

Histórias do mar – 3

Dando seguimento à divulgação de um trabalho de Jorge Magalhães publicado em 2012 pela Câmara Municipal de Moura e pelo Grupo Gicav (de Viseu), no âmbito da exposição comemorativa do centenário de Franco Caprioli, o desenhador poeta, apresentamos mais oito páginas de outro capítulo do e-book editado pelo Gicav, com uma pequena tiragem de 50 exemplares.

Neste capítulo, dedicado às histórias do mar, um dos temas favoritos de Caprioli, figuram três episódios reproduzidos do semanário Il Giornalino, onde é bem patente a perfeição com que o mestre italiano retratava o mar e os seus habitantes, os navios e os homens que os manobravam.

A terceira dessas histórias (todas de ambiente contemporâneo), com argumento de O. Saibari, baseado em factos verídicos, intitula-se “Balene d’assalto” e foi publicada no nº 22 (1973) da citada revista juvenil, que para Caprioli constituiu um ponto de viragem no último período da sua carreira.

Histórias do mar – 2

Dando seguimento à divulgação de um trabalho publicado em 2012 pela Câmara Municipal de Moura e pelo Grupo Gicav (de Viseu), no âmbito da exposição comemorativa do centenário de Franco Caprioli, o desenhador poeta, apresentamos mais oito páginas de outro capítulo do e-book editado pelo Gicav, com uma pequena tiragem de 50 exemplares.

Neste capítulo, dedicado às histórias do mar, um dos temas favoritos de Caprioli, figuram três episódios reproduzidos do semanário Il Giornalino, onde é bem patente a perfeição com que o mestre italiano retratava o mar, os navios e os homens que os manobravam.

A segunda dessas histórias, com texto de um notável argumentista, Roudolph (Raoul Traverso), intitula-se “Il mozzo del Sant’Elia” e aqui a têm, na sua versão original, publicada no nº 18 (1972) da citada revista.

Histórias do mar – 1

Dando seguimento à divulgação de um trabalho publicado em 2012 pela Câmara Municipal de Moura e pelo Gicav (de Viseu), no âmbito da exposição comemorativa do centenário de Franco Caprioli, o desenhador poeta, apresentamos mais abaixo as primeiras oito páginas de outro capítulo do e-book editado pelo Gicav, com uma pequena tiragem de 50 exemplares (o que o torna, como é óbvio, uma peça de colecção extremamente rara).

Neste capítulo, dedicado às histórias do mar, um dos temas favoritos de Caprioli, figuram três episódios baseados em factos verídicos, reproduzidos do semanário Il Giornalino, onde o ilustre mestre italiano colaborou assiduamente, na última etapa da sua longa carreira, após um período crítico em que foi obrigado (como alguns dos seus colegas) a trabalhar anonimamente para publicações estrangeiras.

A primeira dessas histórias intitula-se “Capitan Gambe di Legno” (Capitão Pernas de Pau) e é bem patente em todas as suas imagens a perfeição com que Caprioli retratava o mar, os navios e os homens que os manobravam — mesmo sem ter sido um experiente navegador como Conrad, Melville e Stevenson, escritores que profundamente admirava e cujos tópicos influenciaram muitas das suas inolvidáveis aventuras marítimas.

Caprioli e a Pré-História – 3

Desenhador de excepcionais dotes artísticos, aliados a uma profunda cultura sobre os mais diversos temas — como a Paleontologia, a Arqueologia, a Etnologia, a História da Antiguidade e as Ciências Náuticas, por exemplo —, Caprioli não se limitou a realizar histórias aos quadradinhos de fundo aventuroso, para deleite dos leitores do Topolino, do Giramondo, do Argentovivo! ou do Il Vittorioso.

O seu objectivo era também transmitir aos jovens, de forma amena, essa vasta soma de conhecimentos através de rubricas didácticas como Popoli e Paesi, Storia della Nave, Figurini di Ogni Epoca, L’Italia nella Preistoria, publicadas no Il Vittorioso, a revista que acolheu algumas das suas maiores criações, entre os anos de 1937 e 1964.

O sucesso dessas rubricas, profusamente ilustradas e com textos redigidos inteiramente por Caprioli, espelha bem o seu interesse lúdico e o saber do Mestre, que não ficava aquém da beleza da sua arte figurativa — como demonstram as duas páginas aqui reproduzidas.

Previous Older Entries

WordPress.com Apps

Apps for any screen

Le chat dans tous ses états - Gatos... gatinhos e gatarrões! de Catherine Labey

Pour les fans de chats e de tous les animaux en général - Para os amantes de gatos e de todos os animais em geral

largodoscorreios

Largo dos Correios, Portalegre

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa