Caprioli em exposição no Clube Português de Banda Desenhada

Chega finalmente à Amadora a grande exposição comemorativa do centenário de Franco Caprioli, que esteve patente em Moura e em Viseu, no ano de 2012, comissariada por Luiz Beira e Carlos Rico. Pela mesma altura, foram editados um fanzine e um e-book, por iniciativa, respectivamente, da Câmara Municipal de Moura e do Gicav de Viseu, principais organizadores deste memorável evento, que contou também com a colaboração de Fulvia Caprioli.

Se aprecia a obra do grande mestre italiano, com notável difusão em Portugal, desde os anos 1950 (no saudoso Cavaleiro Andante e noutras revistas, mas também em álbuns com as suas últimas obras), não perca esta mostra, amigo leitor. A inauguração será no próximo sábado, dia 20 de Outubro, pelas 16h00, na sede do Clube Português de Banda Desenhada.

À venda no local estará também, para os interessados, o referido fanzine, com o mesmo título da exposição, editado pela Câmara Municipal de Moura — texto de Jorge Magalhães, profusamente ilustrado com imagens de revistas portuguesas e estrangeiras, reproduzidas da sua colecção —, e que nesse mesmo ano de 2012 foi nomeado para os Prémios Nacionais de Banda Desenhada do Amadora BD.

Caprioli e a aventura do mar – 3

Com as páginas que se seguem, completamos a divulgação de outro excelente trabalho do Mestre italiano, que esteve patente, como já referimos, em duas grandes exposições comemorativas do seu centenário, ocorrido em 2012. A primeira teve lugar em Moura, com o patrocínio da Câmara Municipal daquela cidade; e a segunda, com o mesmo material, em Viseu, por iniciativa do GICAV, que editou na altura um e-book com a reprodução de várias das pranchas expostas e do texto e imagens de um luxuoso fanzine publicado pelo município de Moura, em homenagem a Franco Caprioli.

Enquanto o e-book teve uma reduzida tiragem de 50 exemplares, rapidamente distribuídos, o fanzine, também já esgotado, chegou aos 500 exemplares. Foi por tal motivo que decidimos apresentar neste blogue os textos e as imagens desses dois trabalhos dedicados a Franco Caprioli e que muito agradaram a sua filha Fúlvia, que gentilmente também colaborou na exposição, dando todo o apoio a Carlos Rico, um dos seus principais organizadores. Aliás, Fulvia tem sido incansável na divulgação da vasta obra paterna, consagrando, de todas as formas ao seu alcance, a memória e as magistrais criações artísticas de um dos maiores desenhadores italianos do século XX.

Caprioli e a aventura do mar – 2

As magníficas páginas que se seguem, reproduzidas de originais de grande tamanho, estiveram patentes numa notável exposição dedicada a Caprioli pela Câmara Municipal de Moura, comemorativa do seu centenário, em 2012, e fizeram também parte do e-book editado pelo GICAV, a propósito da mesma exposição, que seguiu depois para Viseu.

Em breve, apresentaremos as restantes página deste trabalho do Mestre italiano, parcialmente publicado na revista Vitt.

Fotos de família e desenhos – 4

Mais quatro páginas extraídas do e-book editado em Agosto de 2012 pelo GICAV de Viseu, aquando de uma memorável exposição comemorativa do centenário do nascimento de Franco Caprioli (1912-1974), que esteve também patente em Moura, em Junho desse mesmo ano, organizada pela Câmara Municipal daquela cidade.

As fotos aqui divulgadas abarcam um período de 60 anos, mostrando o artista na infância e na juventude, com alguns dos seus colegas, no seu estúdio, em Mompeo, e no seio da família, com a esposa e os dois filhos, Fabrizio e Fulvia (à qual devemos a sua publicação).

Fabrizio, que faleceu prematuramente, seguiu as pisadas artísticas do pai, dedicando-se também, com um estilo próprio, à pintura e à banda desenhada. Fulvia é pintora e escritora, interessando-se especialmente pela preservação da memória e da obra primorosa do seu pai.

Em breve, publicaremos alguns apontamentos sobre os herdeiros de Caprioli, extraídos do mesmo e-book.

Fotos de família e desenhos – 3

Mais quatro páginas extraídas do e-book editado em Agosto de 2012 pelo GICAV de Viseu, aquando de uma memorável exposição comemorativa do centenário do nascimento de Franco Caprioli (1912-1974), que esteve também patente em Moura, em Junho desse mesmo ano, organizada pela Câmara Municipal daquela cidade.

Estas raras fotos abarcam um longo período de 30 anos, mostrando o artista no seio da família, com a esposa e os dois filhos, Fabrizio e Fulvia (à qual devemos a sua publicação). Fabrizio, que faleceu prematuramente, seguiu as pisadas artísticas do pai, dedicando-se também, com um estilo próprio, à pintura e à banda desenhada.

Fotos de família e desenhos – 2

Mais cinco páginas extraídas do e-book editado em Agosto de 2012 pelo GICAV de Viseu, aquando de uma memorável exposição comemorativa do centenário do nascimento de Franco Caprioli (1912-1974), que esteve também patente em Moura, em Junho desse mesmo ano, organizada pela Câmara Municipal daquela cidade.

Como curiosidade, aponte-se a perfeição de retratista de Caprioli, num estilo semi-caricatural de que estes exemplos estão recheados e que contrasta, singularmente, com a via mais realista que escolheu, desde os anos 30, para os seus trabalhos como ilustrador, sobretudo na área dos fumetti, isto é, das histórias aos quadradinhos. 

Fotos de família e desenhos – 1

Páginas extraídas do e-book editado em Agosto de 2012 pelo GICAV de Viseu, aquando de uma exposição comemorativa do centenário do nascimento de Franco Caprioli (1912-1974), que esteve também patente em Moura, em Junho desse mesmo ano, organizada pela Câmara Municipal daquela cidade.

Chamamos a atenção, muito especialmente, para as últimas fotos da página 5, que retratam o encontro de Franco Caprioli com outro mestre italiano, o prolífico argumentista Gian Luigi Bonelli, criador (em 1948) da mítica personagem Tex Willer e pai do famoso editor Sergio Bonelli. Nas fotos figura também a sua esposa, a editora Tea Bonelli.

Caprioli colaborou com ambos nas histórias La Perla Nera (A Pérola Negra) e La Valle Sfolgorante (O Vale Brilhante), escritas por Gian Luigi Bonelli e publicadas na revista Audace, de Tea Bonelli, nºs 252-268 e 269-285 (1938-1939).

Histórias do mar – 3

Dando seguimento à divulgação de um trabalho de Jorge Magalhães publicado em 2012 pela Câmara Municipal de Moura e pelo Grupo Gicav (de Viseu), no âmbito da exposição comemorativa do centenário de Franco Caprioli, o desenhador poeta, apresentamos mais oito páginas de outro capítulo do e-book editado pelo Gicav, com uma pequena tiragem de 50 exemplares.

Neste capítulo, dedicado às histórias do mar, um dos temas favoritos de Caprioli, figuram três episódios reproduzidos do semanário Il Giornalino, onde é bem patente a perfeição com que o mestre italiano retratava o mar e os seus habitantes, os navios e os homens que os manobravam.

A terceira dessas histórias (todas de ambiente contemporâneo), com argumento de O. Saibari, baseado em factos verídicos, intitula-se “Balene d’assalto” e foi publicada no nº 22 (1973) da citada revista juvenil, que para Caprioli constituiu um ponto de viragem no último período da sua carreira.

Histórias do mar – 2

Dando seguimento à divulgação de um trabalho publicado em 2012 pela Câmara Municipal de Moura e pelo Grupo Gicav (de Viseu), no âmbito da exposição comemorativa do centenário de Franco Caprioli, o desenhador poeta, apresentamos mais oito páginas de outro capítulo do e-book editado pelo Gicav, com uma pequena tiragem de 50 exemplares.

Neste capítulo, dedicado às histórias do mar, um dos temas favoritos de Caprioli, figuram três episódios reproduzidos do semanário Il Giornalino, onde é bem patente a perfeição com que o mestre italiano retratava o mar, os navios e os homens que os manobravam.

A segunda dessas histórias, com texto de um notável argumentista, Roudolph (Raoul Traverso), intitula-se “Il mozzo del Sant’Elia” e aqui a têm, na sua versão original, publicada no nº 18 (1972) da citada revista.

Histórias inglesas de Caprioli – 5

Olac, o Gladiador: “Os Rivais Bretões”

A propósito deste tema, já aqui apresentámos algumas histórias reali- zadas por Caprioli quando colaborou assiduamente com o estúdio de Alberto Giolitti, outro desenhador italiano de grande craveira que, à míngua de oportunidades na sua terra, decidiu tentar a sorte noutras paragens, onde o mercado de BD era mais florescente (e mais rentável), conseguindo que vários editores ingleses começassem a dar apreço aos artistas transalpinos.

Caprioli, a braços também com problemas económicos, devido ao sucessivo cancelamento de várias revistas que publicavam os seus trabalhos, aproveitou a ocasião sem hesitar, embora sabendo que nas revistas inglesas de BD, salvo raras excepções, imperava o anonimato dos seus colaboradores, tanto literários como artísticos. Sobretudo a Fleetway-IPC fazia “vista grossa” aos direitos de autor, a coberto dessa regra, ficando com os originais e vendendo material ao estrangeiro sem pagar mais verbas aos respectivos autores. Mas a necessidade obrigava os desenhadores italianos (e de outros países) a aceitar essas condições, tanto mais que a libra era uma moeda forte e as encomendas não faltavam.

Ao serviço do Estúdio Giolitti, Caprioli ilustrou vários guiões para revistas inglesas, come- çando por um episódio da série “Olac, o Gladiador”, que foi publicado, com cores garridas, no almanaque Tiger Annual de 1962. Uma nota humorís- tica de Caprioli que merece destaque: na última vinheta desta história é bem visível o primeiro nome do artista, em inglês. Resta saber se a sua assinatura passou despercebida ao editor do Tiger Annual ou se este achou graça à ideia!

A verdade é que numa célebre revista da concorrência (a Eagle), onde eram devida- mente publicitados os nomes dos seus autores, campeavam dois outros Frank’s, de glorioso apelido: Hampson e Bellamy. Caprioli, ao entrar no reino da BD inglesa, estava, pois, em boa companhia, embora nenhum leitor da velha Albion conhecesse ainda o seu nome e a sua origem… o que só viria a acontecer muitos anos depois, quando esses leitores já tinham atingido a meia-idade!

Lamentavelmente, Caprioli não foi convidado a desenhar mais nenhum episódio de “Olac, o Gladiador” — série que passou também pelas mãos de Don Lawrence, Ruggero Giovannini, Carlos Roume e outros grandes desenhadores dessa época (e da qual há vários episódios publicados no Mundo de Aventuras e noutras revistas portuguesas).

Esta breve aventura do heróico gladiador bretão surgiu também, a preto e branco, nas páginas do Pim-Pam-Pum (saudoso suplemento infantil do jornal O Século, publicado à 5ª feira), em meados dos anos 60. Muito tempo depois, teve nova impressão, com as cores originais, num magnífico fanzine editado, em 2012, pela Câmara Municipal de Moura, no âmbito do seu Salão de BD e de uma exposição comemorativa do centenário do “desenhador poeta”, que esteve também patente em Viseu, nesse mesmo ano, por iniciativa do Gicav – Grupo de Intervenção Cultural e Artística de Viseu.

São essas páginas que a seguir reproduzimos. Boa leitura, com a deslumbrante arte de Caprioli! (Para ver/ler as imagens em toda a sua extensão, clique duas vezes sobre as mesmas).

.

Previous Older Entries

WordPress.com Apps

Apps for any screen

Le chat dans tous ses états - Gatos... gatinhos e gatarrões! de Catherine Labey

Pour les fans de chats e de tous les animaux en général - Para os amantes de gatos e de todos os animais em geral

largodoscorreios

Largo dos Correios, Portalegre

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa